domingo, 25 de dezembro de 2011

Natal em preto e branco

O Natal prá mim é assim em preto e branco...

Sei que é uma comemoração de aniversario... Não suporto festas de aniversario... Pessoa chata eu sou, alguns irão pensar ou falar... Tudo bem, posso ser mesmo, tenho minhas peculiaridades meus pensamentos próprios e todos eles bem fundamentados em minhas ideias e assumidos com veemência.

O Natal se tornou uma data muito comercial, poucas pessoas lembram do aniversariante e do que esta noite representa... Portanto creio que desejo um natal em preto e branco para todos aqueles que colaboram para fazer desta data algo comercial ou apenas de uma ceia sem sentido e um Feliz Natal para aqueles que reverenciam o aniversariante e sabem o significado real da data...

Tô melancólica, quem sabe depressiva... sei que o aniversariante é alguém muito importante e a Ele desejo um santo aniversario, um santo Natal... Mas me permito estar assim deprimida, solitária, mas sem esquecer de brindá-lo com um bom vinho, pois com certeza ele está sempre junto a mim e me conhece mais do que eu mesma...

Feliz aniversario meu irmão Jesus!!! Que a paz esteja contigo e que meu pai esteja festejando esta noite bem juntinho a ti!!!

sábado, 17 de dezembro de 2011

Singela Homenagem

Acordei nesta madrugada pensando em uma criatura que me faz refletir a vida todo dia... Pensei... Xô pensamento, é hora de dormir!!! Mas o pensamento remoía dentro da minha cabeça e eu então levantei, peguei meu not e vim deixar aqui a minha singela homenagem, digo singela, pois diante da grandeza desta pessoa, qualquer homenagem por mais pomposa que fosse se tornaria singela.

Minha Mestre, minha gurú, minha companheira de cafezinho, minha amiga... Ela é para mim tudo isto e muito mais que nem caberia neste blog e então precisei escolher uma delas para homenagear, e a minha homenagem vai.... Para Lú Albuqerque, a mãe protetora e supridora, a filha dedicada a sua maneira, a amiga que nunca te deixa na mão, enfim, a Lú pessoa!

Conheço a Lú há uns três anos, mas tempo suficiente para conhecer muito desta mulher guerreira, batalhadora, que luta por aquilo que deseja e consegue o que quer!

Uma mulher que já passou por muitas pisotiadas da vida, mas que não permitiu que nenhuma delas levasse a sua fé e a alegria de viver.

Quem convive comigo sabe, a última coisa que sou e um dia nunca serei(risos) é puxa saco, portanto se eu saí do meu berço nesta madrugada para vir escrever sobre Lú é porque ela merece isto e muito mais!!!

Uma mulher que não teve NADA de mão beijada, que lutou e suou sangue literalmente para criar um filho sózinha, para manter uma familia e para chegar a um passo da iluminação Espiritual!

Não digo aqui que ela já chegou na iluminação espiritual, pois se assim fosse os nossos Mestres amados já a teriam levado embora, então agradeço a estes Mestres e peço que a deixe mais um tempo conosco, nos dando exemplo de amor incondicional, de luta, de quebra de crenças negativas que nos fazem infelizes...

Lú... Não sei escrever bonito, só aquilo que sai do meu coração, sei que merecias uma homenagem bem escrita, mais elaborada, mas leva em conta que eu sou a tua discípula meio "Chaves", um pouco doidinha e afoita e que na verdade só queria dizer às pessoas que procurem te conhecer, pois tens uma alma muito maior do que imaginas!!!

Te amo!!!E te admiro como mãe, filha, mulher,amiga ,terapeuta....

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Proximidade demais com a família é um desgaste

São quase quatro horas da manhã e eu estou aqui divagando sobre familia...

Distância da familia é algo fundamental, há quem vá discordar de mim, mas eu cheguei a conclusão de que quando eu era completamente distante da minha familia, vivia a minha vida da forma com que achava a mais correta para mim, eu era muito mais livre e feliz do que sou hoje!

Antes eu vivia por mim, não dava satisfações a ninguém, afinal sou maior, vacinada, "bipolar", mas na minha... Ninguém me visitava, eu visitava muito pouco, sabia quase nada deles,eles menos ainda de mim e estava sempre bem e feliz.

Foi quando me dei conta de que meus pais já não eram tão novinhos, que eu precisava estar mais perto deles, conviver com estas pessoas lindas e maravilhosas de um carater ilibado e de uma bondade extrema, só que com eles vieram os agregados, os irmãos.... Estes ainda novos, não que estejam livres de algo acontecer e fazerem a passagem mais cedo, mas é diferente, pai e mãe é quem te deu a vida, precisas estar por perto, irmãos nem sempre são amigos, são apenas irmãos.

Comecei a conviver mais com a familia, minha vida foi exposta, meu transtorno também, cada um tem sua opinião própria para os acontecimentos, cada qual quer saber mais de ti como se estivesse dentro da tua vida, da tua cabeça, quando na maior parte das vezes não sabem nem o que se passa na delas e isto vai me deixando cada vez mais revoltada....

Não conseguia me dar conta o motivo que separava a minha tão boa vida, a minha felicidade,deste tempo tão instável e infeliz, mas dai me dei conta, era a proximidade da  familia... Convivio demais... Invadem teu mundo com suas opiniões, dilaceram as tuas idéias e te transformam em quem não és....

Meu pai fez a passagem em fevereiro deste ano, estive com ele em todos os momentos, inclusive nas duas últimas horas de vida... Que bom que tive esta oportunidade... Mas agora...

Um copo de coca cola, minha mãe e um papo furado, é tudo o que  me interessa quando se trata de familia!!


Vou voltar a viver eremitamente, anti social como sempre fui, o que vivo é meu, só meu, eu quem deve prestar conta quando for para outra dimensão, ninguém mais...  Portanto, a partir de hoje, só papo furado com minha mãe e o resto é o resto...

Vou viver à minha maneira, como acho correto viver, sem prestar contas do que vivo, com quem vivo, o que faço, ou deixo de fazer...

Sou feliz assim... Desapegada do material e também do carnal... Só me apego a espíritos, matérias vão de um jeito e voltam de outro... Numa existência homens noutras mulheres... O que vale é o interior de cada um...

O meu eu, mais uma vez pertencerá a mim e às poucas pessoas que tiverem o privilégio de fazer parte do meu seleto mundinho.


quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Querer ser o melhor

Creio que ande meio amarga com o mundo e com as pessoas. Não suporto quem pensa que seu filho é o melhor e que faz por onde se salientar, demosnstrando e desfazendo das dificuldades dos outros.

E não é só com isto que ando amarga, a gente imagina ter amigos, amigos família, ou familia amiga, mas acaba te dando conta de que és um fardo para elas, que na verdade gostariam apenas de venerar seus filhos prodígio em detrimento dos outros.

Eu sempre disse que além de uma mãe, tive sempre uma irmã mãe... Me decepcionei... Tô órfã de irmã mãe, agora só tenho mãe e tenho que cuidar dela com todo o amor que me cabe no coração e não como certas pessoas da família que apenas acham que fazem a obrigação. Já falei aqui, obrigação não tem valor, quem tem valor é o amor e o desprendimento.

Admiro cada vez mais a irmã que passa mais trabalho na vida, seja financeiro, seja mental ou com os filhos, ela aceita não ter os melhores filhos do mundo, embora à maneira deles eles sejam, valoriza a vida e aceita e perdoa os erros de cada um. Nem fica triste com a sobrinha que a mãe quer fazer ser melhor do que é.

É muito fácil ser o melhor apontando sempre o defeito alheio... Tenho pena do dia em que a perfeitinha se tornar ausente como a outra perfeitinha fez.

Mas cada um vem ao mundo aprender e quando aprendemos não precisamos mais passar pela mesma experiência, mas tem quem não aprenda e repita sempre.

Assim é com as doenças, ela vem para nos trazer aprendizado, se nos curarmos é porque aprendemos aquela lição e não mais passaremos por ela, mas se ao contrário não aprendermos, ela persistirá, nos tirará a alegria de viver e em outra existência voltará para que aprendamos.

Não somos um "espírito" experimentando a matéria... Somos matéria "experimentando o espírito."

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Pessoas sanguessugas

Vocês conhecem aquele bichinho chamado sanguessuga né? Suga o sangue da gente, terrível não? Pior ainda são as pessoas sanguessugas disfarçadas pelo mundo a fora... Gente disfarçada de flor de doçura e meiguice, gente disfarçada de pobrezinha, mas que na verdade vai sugando a energia vital do outro, a sua energia financeira e por aí vai... Pior é quando esta sanguessuga faz parte da vida da gente e não conseguimos ver!!! Sim pois achamos que quem é família não explora família e aí está o grande erro,pois é onde mais acontece de existirem sanguessugas disfarçadas... Pessoas fracas ou então que sentem mais do que os outros para sair atrás de algo que remunere, pois não é vergonha nenhuma ganhar o pão trabalhando no que  quer que seja, vergonha mesmo é usar as pessoas e manipulá-las de acordo com que as mesmas tenham obrigação.

Vamos largar de lado a maniplulação, a sanguessuga e fazer por si, cada um veio ao mundo para lutar e ser cada vez melhor, ajudar aqueles que de uma forma ou de outra são excluídos e não aqueles que acham que são melhores e se sentem bem em receber e não ter que lutar!!!



sábado, 26 de novembro de 2011

Pára o mundo... Quero descer!!!

Esta noite foi assim... Tipo, muito doida... Sentimentos misturados, uma ânsia desordenada por deixar este mundo... Sei lá...

Cara tem dias que meu mundo interno se enlouquece, se indigna com a hipocrisia, com as mentes minúsculas, com a inveja alheia.... E daí fico assim, de cabelo em pé e quase berrando pela rua como doida... Pára o mundo!!! Eu quero descer!!!

Só que o mundo não pára e a gente só desce dele na hora que tem que descer... E sei lá eu se a gente desce mesmo ou se fica escondidinho esperando a poeira baixar prá voltar com outro codinome e tentar tudo novamente...

Mas se não for pedir demais... Se der para me atender... Ô meu... Pára o mundo..... Eu quero descer!!!!

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Privacidade.... Um "mal"(?) necessário

Gente, privacidade é tudo na vida da gente, não que estejamos fazendo algo às escuras, ou que estejamos deixando de ser fiel a alguém ou a algo, mas vamos combinar, privacidade é um mal necessário a todo vivente!!!

Tem gente que pensa que por ter um relacionamento, ou de namoro, casamento, familiar, pais e filhos, isto lhes dá o direito de invadir a privacidade do outro...


Qualquer dia destes a vida da gente vai ser tão devassada por nossos entes queridos ou não, que a guardaremos sómente na nossa mente...
Tem dias que me sinto invadida demais, tem coisas que escrevo e que publico, mas tem aquelas impublicáveis, não por serem obscenas ou algo do gênero, mas por serem de tamanha intimidade, por muitas vezes conterem um pouquinho da minha essência que está guardada para amadurecimento e com este fresteio acaba por apodrecer...

Tem gente que costuma estar sempre de olhos grudados em tudo, querendo até mesmo ler nosso pensamento... Bisbilhotam tudo, só não conseguem bisbilhotar a alma e depois ainda ficam com cara de caneca dizendo que o outro tá com nóias...

Tô quase por estas, guardando minhas sementinhas de crescimento vivencial... E depois a doida sou eu!!! hahahahaha


terça-feira, 18 de outubro de 2011

Tristeza Profunda

Hoje vim até aqui dividir comigo mesma e quem sabe com outras pessoas sensíveis que estejam se sentindo assim tão desvalorizadas e tristes...

Sabe, eu tinha vergonha sempre de muita coisa, vivia me escondendo por achar que tudo o que eu fazia era ruim, ou não era certo... O tempo foi passando e eu me tornei uma adulta cheia de nós por não conseguir viver libertamente.

Há alguns anos atrás conhecí uma pessoa radiante, que não tinha vergonha de nada, que se vestia como estava a fim, se comportava da maneira que a fizesse melhor, que amava da maneira que o coração dela pedia e não como a sociedade exigia...

Me espelhei naquele exemplo de pessoa, pensei, pôxa, faço sempre pelas pessoas tudo que posso, sou sensível, humanitária, faço a caridade a quem quer que seja, mas o que eu realmente estou fazendo por mim?

Foi aí então que mandei literalmente tudo às favas... Seguí com minha sensibilidade, humanidade, caridade é claro, mas desistí de tentar agradar aos outros para então agradar a mim, não deixar que o meu restante de vida fosse assim tão amargo no meu íntimo...

E com certeza comecei a ser feliz de verdade, saía na rua da maneira que me achasse melhor, encontrei amigos especiais, com  um jeito super peculiar, mas maravilhosos e comecei então a viver livremente por mim!!!

Hoje, quem me ensinou a ter esta postura liberta diante da vida, a deixou de ter... Passou  a se envergonhar das coisas, não de tudo, mas de coisas importantes...

E creio que quando é necessário que a gente esconda algo para não ser prejudicado por nossa sociedade ultrapassada, pelo menos não deveríamos exaltar outras coisas para superar aquilo que se necesita esconder...

Assim, ontem fui chamada por quem um dia me serviu de espelho, de "sem noção" e isto magoou profundamente meu ser... Fez uma ferida tão profunda que nem sei se um dia irá curar... Mas de uma coisa eu tenho certeza, esta pessoa se não  resolver se dar conta que ela que está "sem noção" vai ter que tomar o rumo e ir conviver com pessoas que acreditem nas noções sem cabimento que ela aprendeu sabe-se lá com quem!!!

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

A culpa é uma crença limitante

A culpa foi algo tão presente na minha vida que eu estava acostumada e acreditando que era normal me sentir culpada por não conseguir fazer a felicidade de alguém, por uma pessoa não ter feito as escolhas certas para que sua vida fosse melhor... Culpa por decidir ser feliz e deixar para trás vivências e pessoas... Mas foi trabalhando muito a minha mente que me dei conta de que a culpa não deixa de ser uma crença limitante que nos foi imposta há séculos de maneira a manipular e nos manter presos aos padrões arcaicos, onde tínhamos que carregar no colo pessoas as quais imaginávamos que éramos obrigados a amar, onde na verdade, deveríamos sim respeitar, ser solidário, mas não se deixar de lado para viver em culpa...

Cada pessoa tem que trilhar seu caminho sózinha, de modo a sentir-se bem, também darem-se conta que amar não significa acorrentar mentalmente. Não podemos ficar culpando a tudo e todos por nossas escolhas e assim nos sentirmos mais leves, pois daqui deste mundo vamos sózinhos, na hora da prestação de contas não iremos ter em quem colocar a culpa do que não fizemos ou fizemos errado.

Vejo filhos carregando pais nos colo deixando de construir a sua própria vida, esquecendo-se que se eles escolheram o caminho errado a culpa não é deles... Cada um trilha o caminho que quer, se não soube conquistar, se não sabe manter pessoas por perto, não tem o direito de manipular um filho usando a culpa como instrumento de tortura...

Se este vivente não se der conta enquanto é tempo, vai acabar deixando de viver, de construir o futuro e será um ninguém como aquele que necessita acorrentar almas usando a tortura mental da culpa.

Quem não luta por si, para desprender-se de suas crenças, acaba tornando-se um fardo para os outros, repetindo a mesma manipulação que sofreu...

Vamos nos livrar da crença da CULPA.... Nós não somos culpados de nada, apenas responsáveis por nossas escolhas!!!

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Aconteceu em um tempo de sala de bate papo sadia...

Nomes fictícios para preservar identidades...

Há uns anos atrás,creio que dez para ser mais precisa, as salas de bate papo eram sadias, talvez por quem fizesse uso dela, fossem adultos e pessoas solitárias que lá buscavam um pouco de divertimento.

Nestas salas haviam bailinhos virtuais, conversas formais e informais, usavam nicks para não serem descobertos, mas acabavam se dando de cara com vizinhos que tinham a mesma intenção... Então fechavam uma sala, e lá cada um era sua própria identidade, e assim conheciam um pouco do mundo solitário e real de cada um.

Destas salas saíram namoros, casamentos formais e informais, era a oportunidade de conviver com a diversidade que o nosso dia a dia não permitia, pois a convivência que tínhamos era com pessoas de nosso trabalho, família, estudo, portanto tudo limitado a um certo tipo de vivência e com estes novos amigos compartilhávamos experiências surreais que jamais nos seriam permitidas afinal vivíamos apenas nosso mundinho particular.

Pois bem , foi nestas salas que amizades se tornaram inseperáveis, namoricos e namoros sérios, como já falei casamentos formais e informais... E de um casamento informal lembro muito bem, até porque conviví com estas pessoas... Uma guria que pouco conhecia da vida, tímida e com pouca vivência , vamos chamá-la Ísis, encontrou-se com um rapaz  cheio de vida que se intitulava Pastor Lulu, um cara de bem com a vida, onde nada mesmo tirava o bom humor, sempre, mesmo quando a vida virava as costas, achava um motivo para ser feliz!! Na sala ele era diversão pura!!


Eis que ele e Ísis começaram a bater papo no telefone e ela foi descobrindo a alegria de viver e não ter vergonha de quem era... Saía pela rua espalhando sorrisos e sempre uma palavra de conforto. Ísis era super humana, não se conformava com as injustiças do mundo e Pastor Lulu não deixava por menos, queria ver a alegria em cada rosto e eu encantava-me com isto... Queria conseguir um dia ser um pouco, pelo menos, assim liberta como ela... Eu sempre viví num mundinho a parte... Só meu, onde me sentia segura...

Portanto, Ísis e Pastor Lulu viveram um casamento informal muito intenso, fizeram o bem para muitas pessoas e compartilharam entre eles vivências diferentes que os tornaram o que são hoje. Apesar de incompreendidos lutaram pelo tempo que deveriam para mostrar ao mundo ao que vieram...

Um dia Ísis e Pastor Lulu se separaram, era chegada a hora, mas jamais deixaram de lembrar um do outro e carregar consigo a lição que aprenderam nesta convivência. (já não convivo mais com ela... Não sei como estão, mas era o que se esperava deles, pois pelo que recordo, tudo foi muito tranquilo, o começo e o término... Sabe quando uma lâmpada queima? Pelos relatos imagino assim...)

Hoje a internet está devassa, já não mais existem histórias como a deles, como a de Anne e O'Dell, Mulher gato e Dinho...  O Zen que não sabia com quem ficar... Sempre na retranca, meio na dele... Assim como eu... Aliás, tínhamos muito em comum... Nosso mundo era só nosso!!!  Mas com certeza cada um deles fez a diferença!!!

(Obs: Conviví com estas pessoas, conheci no real a maioria do povo que frequentava a sala de Pelotas do UOL, foi muito bom, ganhei experiências mas já há tempos não tenho contato com nenhuma delas... Mas até isto faz parte da nossa existência...)


domingo, 9 de outubro de 2011

O equívovo das redes sociais

Hoje a maioria das pessoas participa de redes socias... Não sou contra, pelo contrário, afinal, faço parte de várias delas, mas noto que há um grande equívoco... Na verdade elas deveriam ser melhor usadas, sei que os adolescentes a usam de maneira a fazer amizades, trocar informações sobre baladas, coisas fúteis, mas isto faz parte, desde que com consciência e responsabilidade.

Mas e os adultos? O que eles estão fazendo com as redes sociais? Para mim elas suprem a sede de conhecimento, consigo compartilhar conhecimentos com pessoas que não conheço, mas que tem muito a me ensinar e quem sabe eu a eles, mas é degradante abrir a página de uma rede social e se dar de cara com adultos agindo de forma tão fútil... Parece que não estamos muito preparados para a era cibernética.

Hoje mesmo me deparei no facebook com perfis usando fotos de desenho animado, dizendo ser uma homenagem às crianças  e esclarecendo que sabiam que isto não resolveria o problema delas, mas que demonstraria que se importavam... Mas por favor, colocar no perfil um desenho animado não muda nada na fome e nem na educação das crianças gente!! Vamos abrir nossos olhos e se quisermos mesmo fazer a diferença, não é só colocar a foto de um desenho animado, é sim se engajar em uma ong em prol das crianças, procurar educar nossos meninos e meninas, procurar fazer com que de alguma forma eles se interessem por cultura, por estudo, por educação!!!

Tenho visto crianças de quinta série que sabem tudo sobre as redes sociais, mas que não sabem a tabuada... Crianças que não tem o que comer e por isto deixam as escolas para trabalhar e ajudar suas famílias, precisamos fazer esta diferença e não só nos acharmos melhores  porque demonstramos que nos preocupamos com elas fazendo uma homenagem!!!

Uma homenagem sim é louvável, mas só ela não fará diferença alguma!!!


E além do mais parece que estes facebookianos, esqueceram o real motivo da homenagem do dia 12 de Outubro... Dia de Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil... Seria o momento de homenageá-la fazendo a diferença para um mundo melhor!!!

Uma história real que se repete todo dia...

Há alguns anos atrás conhecí uma pessoa e para poder falar nela,preciso com certeza preservar sua identidade, portanto a chamarei de "Julie"...
Então, quando conhecí Julie, eu estava vivendo um momento crucial, um isolamento social total, nem mesmo convivia com minha família, pois equivocadamente eu acreditava que eles não davam para mim a devida importância, que tanto fazia o que eu estava sentindo, quando na verdade eu é que havia me afastado... Estava aborrecida por ter sido tão cuidada na adolescência, acreditava que isto me sufocava... Ledo engano, e só fui descobrir isso após conhecer Julie...
Numa noite eu e Julie conversavamos muito sobre nossas vidas...Foi aí que ela me falou intimamente sobre sua vida pessoal e principalmente familiar... Confesso, fiquei possuída, mesmo sabendo que assim como Julie, muitas pessoas viviam este descaso, mas ela agora fazia parte da minha vida e eu precisava fazer qualquer coisa que fosse para mostrar a ela que não importa o quanto teve uma mãe super ausente, que acreditava que soltar muita grana, carro, moto, seria o suficiente para construir um adulto consciente, um pai agressor e ausente que talvez ao invés de conquistar o respeito acabou fazendo com que ela abominasse os homens em geral... Pelo contrário, grana, falta de apoio em casa, causa danos muitas vezes irreversíveis!!! Drogas, mau caminho...

Ela nunca soube o que é ter  uma "mãe" de verdade, aquela que mesmo timidamente sabe demonstrar amor, cuidar... Nem mesmo um pai presente, que conversasse sobre os perigos do mundo com carinho... Teve sim, tio e avós que supriram tudo isto, e por aí é que me dou conta de onde vem a sensibilidade e o senso de verdade que ela tem. Apesar de muitas vezes entrar em uma confusão mental que não a deixa assumir nem mesmo quem é!

Pois bem, eis que me chega Julie, um passarinho de asas quebradas, precisando muito de mim e me mostrando que nada daquilo que eu não tive de liberdade, apenas não me deram um tipo de visão de vida, mas me fizeram uma filha amada, com regras, e isto fez quem sou hoje, apesar de transgredir algumas, mas agora sou adulta, sei o que faço e quais as suas consequências, assumo todas com a tranquilidade de que não estou magoando ninguém...

Apesar de minhas tristezas muitas vezes o que é normal no ser humano, sei que tenho por minha família um amor verdadeiro e nunca uma obrigação... 

Mesmo adulta recebo deles sempre o apoio necessário e eles é que são a minha base e não eu a deles.

Julie já teve uma vida... Sim, pois já assumiu verdadeiramente quem "é" há algum tempo atrás, viveu de forma inconstante, intransigente para as ditas regras sociais, mas feliz pois assumia seu "ser"... Não tinha base familiar nenhuma, ainda não tem... Mas assumia plenamente suas vontades e seus amores, pois acreditava neles... Coisa que hoje já não consegue mais, o que a torna a cada dia mais depressiva... Mal sabe ela que a felicidade plena só chega mesmo quando assumimos o que e quem somos, nossa forma de amar, mesmo que peculiar e nem sempre aceita por aqueles que ainda não descobriram que amor não tem regras... Quando nos dedicamos a nós mesmos, sem prejudicar os outros,e também sem deixar ser manipulados pela culpa de não sentir amor pelos que na verdade a sociedade decidiu que deveríamos, e estes mesmos sentem um pseudo amor que jamais será verdadeiro, fará com que pessoas como Julie sofram, tentem das mais variadas maneiras suprir o amor que pensam ser obrigação ter por aqueles que os trouxeram ao mundo apenas e supriram enquanto puderam, o material.

E este tipo de coisa Julie conseguiu me ensinar... Não me culpar por não receber amor de pessoas que deveria receber, ou talvez imaginasse que sim, pois fomos criados para receber e dar amor a certas pessoas mesmo que no fundo sejam estranhos para nós... Pena que Julie soube me ensinar, mas não conseguiu desfazer seus próprios nós quanto a isto, gerando, mesmo que ela não se dê conta uma depressão, um pseudo amor  e acomodação... Julie precisava tomar consciência de si própria, tomar as rédeas da sua vida e não mais depender do empurrão de quem quer que seja.

Assim como Julie temos muitos e muitos adolescentes e adultos... Sem base, sem amor, sem família de verdade, todos sucumbindo em uma parte da vida assim como Julie que não consegue viver plenamente nem mesmo suas relações pessoais.

Infelizmente eu acho que cheguei após tantas vírgulas ao ponto final desta minha simbiose com Julie... Não a reconheço mais... Ela voltou a ser triste, desmotivada e sózinha e mesmo que eu seja uma companheira incansável, muitas vezes sinto uma solidão acompanhada, pois ela já nem consegue falar mais, está sucumbindo de maneira rápida demais e eu não estou conseguindo ter ânimo para ajudá-la a levantar, preciso voltar a tomar as rédeas da minha vida... Nós só podemos tentar ajudar as pessoas, não viver a vida por elas....

sábado, 8 de outubro de 2011

Qualquer semelhança é mera coincidência...

Falando um pouco sobre relacionamentos... Relacionamentos entre namorados(as),amantes, casais... Não que eu entenda muito sobre o assunto, na verdade não sou mesmo uma expert, pois além de ser bipolar, sou um tanto anti social, mais um pouquinho individualista, mando no meu nariz e pronto... Vivo a minha vida de forma que eu consiga sentir-me plena e liberta, tanto de correntes sociais, como aquelas que certos relacionamentos impõem, então por isto mesmo vou escrever algo mais abrangente e não pessoal, coisas que percebo no dia a dia das minhas convivências, apesar de ser algo um pouco superficial, vou tentar aprofundar mais, com aquilo que um dia talvez de alguma forma tenha convivido, mas com certeza, qualquer semelhança é mera coincidência.

Duas pessoas se encontram, se conhecem, começam a conversar e acabam por se reconhecer... Nos primeiros dias, não conseguem nem dormir sem pensar antes na outra, a ansiedade toma conta, a alegria se faz presente de uma maneira tão iluminada que todas as pessoas que convivem podem perceber, e elas realmente não fazem questão nenhuma de esconder o que estão vivendo, esta alegria, euforia... Algo novo, maravilhoso.... Derepente vem uma troca de olhares mais intimos, quem sabe é aí que o primeiro beijo chega para aqueles menos tímidos... Para os introvertidos, este olhar dura mais tempo... Vai amadurecendo até que então sem se darem conta o beijo acontece... Nossa!! Que explosão de alegria e êxtase!! 

Os dias seguem e esta dupla então começa a relacionar-se... Namoro? Pode ser.. Mas hoje muitas vezes para pessoas adultas, esta fase é cortada do "cardápio", e quem sabe esteja aí o erro, e então o namoro passa ao dito casamento informal em poucos dias... E a relação vai ficando cada vez melhor, a cumplicidade é total, parece que nunca existiram antes de ter encontrado este amor. Vem as juras, as letras de música que farão parte para sempre desta união... Se um sai para a facul o outro parece que vai morrer de saudade... Quando o outro vai para o trabalho é a vez de quem fica sentir-se como morto... Parece que estou querendo fazer isto parecer ruim? Não, pelo contrário, eu acho show esta cumplicidade!!

Mas os meses vão passando e a rotina vai se instalando, pois parece que as pessoas não sabem que o amor é como uma plantinha que precisa de cuidados e alimento diários... Assim, a cumplicidade se vai... Os dois estão lá, juntos... Com certeza se gostam... Se defendem, se ajudam mútuamente, mas cadê a intimidade? O carinho? Aquele beijinho meigo de bom dia... Boa noite... Quando um sai ou chega em casa? Se foi junto com a rotina... Que triste!!!

Daí estes dois que pareciam perfeitos no amor, caíram como muitos outros na armadilha da rotina... 

Até que um dia, um deles acorda e se dá conta que não quer passar a vida assim... Que quer mais, que quer vida, que quer o coração vibrando de verdade em um momento íntimo e único... Que sente a necessidade de carinho verdadeiro, de aconchego... E o pior é que muitas vezes não tem coragem de se abrir, ou se tem o outro discorda, pensa que para ele está bom, pois pode ser um acomodado... E as traições acontecem e quando não acontecem dão seu lugar às depressões, e a total mutilação do ser.

Relação a dois é a maior responsabilidade do ser humano... Ninguém tem o direito de se manter ou manter o outro infeliz!!!

Pensem nisto!!!!

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Beleza física não é fundamental

Será mesmo que beleza física é o que mais importa?  Se assim fosse os menos favorecidos não teriam seu lugar ao sol... Infelizmente é o que mais acontece... Para se conseguir um emprego é necessário ter certos atributos de beleza, estereótipos inventados por uma sociedade consumista e fazedora de opinião.
Vemos hoje meninos e meninas malhando o corpo, adoecendo o mesmo por falta de alimentação balanceada, fazendo plásticas, lipos, bariátricas, de tudo para conseguirem serem aceitos e trabalhar... Gente, trabalhar, algo extremamente necessário nos dias de hoje onde os salários na sua maioria são parcos e os abastados são poucos e se acham melhor do que qualquer um passando por cima do que realmente importa, da honestidade, do caráter do bom espírito... Não viemos ao mundo a passeio, estamos aqui para aprender as grandes lições dos Mestres, que nos querem unificar a cada dia.

Não condeno quem cuida do corpo, fico triste sim com aquelas pessoas que fazem do seu corpo um santuário esquecendo que tem alma... Mais triste ainda com mulheres que fazem das menos favorecidas um verdadeiro "lixo" e tenho pena dos homens coitados que não sabem pensar com o que deveriam e ficam trocando de mulher cada vez que a sua se deixa encher de rugas, se deixa mal cuidada em favor do marido que precisa estar sempre bem apresentado para o trabalho... E eu lhes pergunto... Para o trabalho ou para outras mulheres? Quanta futilidade... Será que um dia conseguiremos que as pessoas enxerguem o que é verdadeiro e não passageiro em nossa vida?

Tem tantas pessoas que não tiveram o privilégio de se cuidar, nem mesmo o privilégio de nascer sadio e tem muito mais amor e compreensão pelo mundo do que muito magnata hipócrita!!!

domingo, 14 de agosto de 2011

Recolhida ao útero

Hoje estou me sentindo de volta ao útero... Aquele lugar quentinho e protegido do meio externo, mas não sem suas dúvidas e receios do momento do nascimento... Ali está se formando um novo Ser e este tem sim a instabilidade de não saber o que vai encontrar aqui fora... É meu caso... 

Estou já há alguns dias internalizada, literalmente em surto mais uma vez... Eu me conheço e reconheço, sinto quando algo não vai bem, quando o surto e desestabilidade estão por perto, geralmente consigo voltar atrás, mas desta vez todos os esforços foram inúteis, não consegui...

Não suporto pessoas duas caras, hipócritas, falsas e prepotentes... Sei que tenho que conviver com elas, entre aspas, pois o mundo ainda está impregnado destas baixas energias, mas nem sempre suporto passar por isto tranquilamente... Sei bem que não sou uma só... Nenhum bipolar é um só... Mas mesmo assim sou transparente em toda e qualquer atitude minha... Assumo meus pensamentos, ideias e ideais e defendo-os com coragem e determinação. Me mostro como sou... Não me escondo atrás de ninguém, eu sou como sou e não peço a aceitação nem a permissão de ninguém para ser assim... Quem me ama, que venha comigo... Quem não me suporta que vá pra bem longe, mas que não me contamine com seus miasmas de gente hipócrita....

Tem momentos que penso saber o que me levou ao surto, mas em outros passo a crer que são tantos os fatores que não tem como definir... 

Quando internalizo assim desta maneira, não suporto o telefone tocar e nem mesmo o som do celular chamando, muito menos a campainha... Fico paralisada de medo... Neste momento encaro que falar ou atender alguém vai macular meu "útero" ... Quando experiencio estar lá, não consigo suportar a ideia de compartilhar o momento com ninguém... É meu momento, ele é intimo e único... É meu, só meu.... Preciso da solidão...

São experiências surreais, que me fazem pirar muitas vezes, mas que por fazerem parte de mim, compartilho com vocês... Não sinto vergonha de nada do que eu sou... Sei que muitas pessoas não me entendem, não me aceitam, até mesmo não me suportam... E sendo assim, prefiro mesmo que não convivam comigo... Do meu lado, quero gente boa, somente gente boa... Gente que é gente de verdade e que tem alcance suficiente para entender as limitações e reconhecer os talentos e a  capacidade de realizar que eu tenho mesmo sendo alguém tão mutante...






quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Causas sociais

Sou sim uma ativista das causas sociais, mas não para ser taxada de moderninha ou de qualquer adjetivo pejorativo que as pessoas se refiram àqueles que se preocupam verdadeiramente com a humanidade e com o bem estar das pessoas.

É uma luta diária para as minorias serem aceitas na sociedade, muitas vezes a minoria nem é tão minoria, mas está sim sufocada por pessoas de poder aquisitivo significativo e idéias totalmente retrógradas. O mundo muda, a vida evolui, mas tem muita gente apegada a falsos moralismos e coisas fúteis, que nunca sentiram e quem sabe nem sentirão na pele ou no coração o que é estar em situação de flagelo social.

Eu não sentí na pele muito dos preconceitos que eu luto contra, não sou negra, nem serei nesta vivência pelo menos, não fui menino de rua, não sofrí violência doméstica, muito menos sou uma idosa mas isto não impede a admiração pela luta dos mesmos por um lugar ao sol, para serem considerados iguais  e principalmente terem seus direitos como qualquer ser humano.

Enfim, não sinto na pele muita coisa,sinto sim com meu coração que dói muito a cada injustiça social que presencio. Não podemos dar as costas àquilo que sabemos existir e estar latente a cada dia mais, é necessário que sintamos pelo menos com nosso coração um mínimo da dor alheia, da luta pelo respeito, pela igualdade, pois afinal se somos mesmo todos um, como não sentir e se condoer com as barbáries que os ditos seres humanos estão fazendo com os seus semelhantes?

Últimamente me encontro totalmente indignada com pessoas que olham apenas pro seu próprio umbigo e ainda pensam que são "o cara"... Isto me faz a cada dia ter mais vergonha de fazer parte desta sociedade indigna e hipócrita.

Sei que meus passos são como de uma formiguinha... Sei também que ativistas que tiveram peito prá mostrar a cara acabaram mortos por pessoas indignas de tamanha grandeza, não tenho medo, infelizmente sou um grão de areia nesta luta, mas durmo o sono dos justos, pois sei o quanto tento ser justa no meu dia a dia e na minha vida e isto já é um começo...

Eu faço a minha parte... Quem sabe vocês possam se juntar a mim e fazer parte também dos que lutam pela paz e pela unidade? Conto com  vocês no meu exército!!!!

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Incógnita Vivente...


Me identifico muito com Florbela Espanca, em seus escritos e suas descrições, muito mais ainda na seguinte citação:

"O meu mundo não é como o dos outros, quero demais, exijo demais; há em mim uma sede de infinito, uma angústia constante que eu nem mesma compreendo, pois estou longe de ser uma pessoa; sou antes uma exaltada, com uma alma intensa, violenta, atormentada, uma alma que não se sente bem onde está, que tem saudade… sei lá de quê!"
 
Sou muito do que está descrito aí... Sinto-me fora do contexto muitas vezes, carrego em mim uma angústia indescritível, sou uma alma saudosa também de algo que nem mesmo sabe o que é... 
Sou realmente uma incógnita vivente...




Sem paciência para o social....

Hoje tô completamente sem paciência para o social... Vontade mesmo é de me jogar na cama tapar até a cabeça e deixar esta vibe passar... Mas a vida não é assim, tenho que enfrentar esta sociedade hipócrita de frente, pois sempre existirão pessoas ignorantes que vão me deixar assim ensandecida, com cara de tédio só de pensar nelas...

Porque as pessoas não procuram saber um pouco mais das coisas para depois formarem opinião? Claro que cada um tem seu ponto de vista em diversos tipos de situação e isto é claramente natural, mas pelo menos que expressem suas opiniões de maneira inteligente, com sabedoria e conhecimento de causa.

Quando uso a palavra "ignorante", não a estou fazendo de modo pejorativo, e sim da ignorância em determinados assuntos... Eu sou ignorante em muitas áreas por não ser do meu interesse, mas não saio largando minha opinião errônea ou ignorante sobre o assunto. Me permito debater aquilo que conheço ou que vivo, nunca me meter em assuntos que não são de meu conhecimento profundo...

Defendo causas sociais, defendo meus ideais e opiniões, mas todos fundamentados.... Sei que eu sou uma pessoa estranha aos olhos de muitos... Mas me conheçam antes de formar uma opinião sobre a minha pessoa por favor!!!


domingo, 12 de junho de 2011

Sentimento de culpa...

Creio que um dos sentimentos que mais assola os seres humanos que tem boa índole é o sentimento de culpa... Aquele que vai aumentando, aumentando, somatizando e causando-nos transtornos físicos e mentais...

A culpa é colocada em nossas vidas desde muito tempo, é uma coisa um tanto cultural, mas até hoje eu não consigo lidar bem com ela e sei que muita gente também não...

Na verdade me culpo por escolhas que derepente me fizeram bem, mas que não soaram bem a alguém... Não me perdôo muitas vezes por atitudes que tomei em certos momentos, e diga-se de passagem, necessárias, mas que hoje creio que eu pudesse ter agido diferente... Mas então me pergunto, se eu me culpar vai resolver? Vai mudar a situação? Claro que não, não podemos voltar atrás no que já vivemos, o que podemos sim é mudar nossas atitudes, é fazer diferente o hoje e não se culpar mais por aquilo que já se foi...

É mesmo muito difícil conviver com o sentimento de culpa, mas é mais difícil ainda a gente se perdoar... Se fosse fácil, creio que a vida seria mais leve...

Vira e mexe e eu estou aqui batendo nesta tecla de culpa e de perdão... Mas se toco no assunto é porquê estes dois ainda estão muito latentes na minha vida...

Sei que um dia ainda virei aqui contar sobre a experiência de viver sem ter o estigma da culpa a me pesar nas costas... Pois aprendí que realmente a gente não pode voltar e fazer um novo começo, mas pode sim transformar o final, assim como dizia sábiamente Chico Xavier.

Precisamos fazer nosso hoje sempre diferente daquilo que condenamos ter ou não feito em tempos passados...  Aprendermos a nos perdoar dos nossos erros para assim conseguirmos perdoar os outros... Neste mundo não existem seres perfeitos... Cada um leva daqui o seu próprio aprendizado...

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Amar....Amar....Amar.....

Muitas vezes coloco aqui alguma reflexão, tipo o texto que postei hoje mais cedo e depois leio e releio e acabo observando muitas verdades a serem compartilhadas, pois o conhecimento não é de uma única pessoa e sim construções que fazemos a partir de nossas vivências e convivências por aí a fora.... Muito do que diz naquele texto deve-se colocar em prática para que nossas reflexões não sejam em vão.

Então... O texto fala verdades que muitas vezes não queremos saber, ou sabemos e fazemos de conta que não, ou ainda, não paramos para pensar, afinal, pensar em certas coisas é desperdício de tempo não é mesmo? Nos dias de hoje pode até parecer, mas mais do que nunca precisamos nos colocar a refletir o que estamos fazendo de nossas vidas, os valores que estamos dando a coisas sem valor e o que estamos  fazendo pelas pessoas que nos deram a vida, por nossa família, por nosso(a) companheiro(a), por nossos amigos, por nossos colegas de jornada...

Eu agradeço a cada dia mais e mais pelo dom da vida, pelo pai que eu tive e terei para sempre, pela minha mãe, pessoa fantástica que faz o bem 'realmente' sem olhar a quem... Que ao invés de procurar o defeito no outro, como muitas pessoas costumam fazer, ela acredita na bondade do outro embora enganada muitas vezes...


Quem me dera um dia ser um terço do que eles representam no mundo...  Quem dera ter conseguido seguir o exemplo deles à risca e ser uma pessoa realmente caridosa... Posso até pensar que eu sou uma pessoa boa... Mas ao olhar o exemplo que tive, penso... Não... Eu só não sou ruim.... Mas pensando melhor ainda me dou conta de que eu só não sou 'tão' ruim.... Triste constatação, mas sou humana e se estou aqui é justamente para aprender e quem sabe um dia eu consiga ter a bondade e a inocência da minha mãe.... Minha tia, irmã dela, contava que minha mãe sempre fora assim ingênua e inocente e o mais louco nisto tudo é que apesar desta ingenuidade e inocência, minha mãe é mulher forte e corajosa, que enfrenta a vida de frente e resolve conflitos sem nunca ter que discutir, com diplomacia e verdade...

Meus pais são exemplos a serem seguidos... Eu tento.... Sei que tudo de bom do meu caráter herdei deles e que aquilo que eu gostaria  que fosse diferente, herdei das minhas escolhas, da vida.... E infelizmente o mundo aqui fora está a cada dia mais com os valores invertidos e a gente hora ou outra acaba caindo na tentação de desafiar as regras e ser diferente, foi o que eu sempre fiz... Teimosa e birrenta por opção e não por criação....

Minha irmã até hoje fala que eu escolhia os times diferentes só de birra, que se todos da família torcessem para o time "A" eu torcia para o time "B", e é verdade, não sei de onde sempre tirei esta ânsia de ser irreverente, mas pelo menos isto me fez ser quem sou hoje, alguém que se constrói a cada dia, que valoriza os exemplos que teve e os que tem no dia a dia e que se espelha cada vez mais no amor dos pais e da família, este amor é incondicional!!!

Como fala no texto.... Vamos demonstrar mais amor.... Vamos amar mais.... Amar.... Amar.... Amar....

Para Refletir...

Para Refletir foi o título de um email que recebí de uma amiga ontem... Se recebe pelo email diáriamente vários textos para reflexão, mas muitas vezes passamos os olhos, achamos muito bonito, profundo, mas ou reencaminhamos para outras pessoas ou então o deixamos guardado em alguma pasta do computador para em outro momento ler e refletir, o que geralmente nunca mais o fazemos...

Compartilho com vocês e acrescento... Vale a pena ler e refletir!!!

"Nós bebemos demais, fumamos demais, gastamos sem critérios, dirigimos rápido demais, ficamos acordados até muito mais tarde, acordamos muito cansados, lemos muito pouco, assistimos TV demais e rezamos raramente.

Multiplicamos nossos bens, mas reduzimos nossos valores.


Nós falamos demais, amamos raramente, odiamos frequentemente.


Aprendemos a sobreviver, mas não a viver; adicionamos anos à nossa vida e não vida aos nossos anos. Fomos e voltamos à Lua, mas temos dificuldade em cruzar a rua e encontrar um novo vizinho.


Conquistamos o espaço, mas não o nosso próprio.

 
Fizemos muitas coisas maiores, mas pouquíssimas melhores. Limpamos o ar, mas poluímos a alma; dominamos o átomo, mas não nosso preconceito; escrevemos mais, mas aprendemos menos; planejamos mais, mas realizamos menos.

Aprendemos a nos apressar e não, a esperar.


Construímos mais computadores para armazenar mais informação, produzir mais cópias do que nunca, mas nos comunicamos menos. Estamos na era do 'fast-food' e da digestão lenta; do homem grande de caráter pequeno; lucros
acentuados e relações vazias.

Essa é a era de dois empregos, vários divórcios, casas chiques e lares despedaçados. Essa é a era das viagens rápidas, fraldas e moral descartáveis, das rapidinhas, dos cérebros ocos e das pílulas "mágicas". Um momento de muita coisa na vitrine e muito pouco na despensa. Uma era que leva essa carta a você, e uma era que te permite dividir essa reflexão ou simplesmente clicar 'delete'.


Lembre-se de passar tempo com as pessoas que ama, pois elas não estarão por aqui para sempre. Lembre-se dar um abraço carinhoso num amigo, pois não lhe custa um centavo sequer. Lembre-se de dizer "eu te amo" à sua companheira(o) e às pessoas que ama, mas, em primeiro lugar, ame... Ame muito.


Um beijo e um abraço curam a dor, quando vêm de lá de dentro. O segredo da vida não é ter tudo que você quer, mas AMAR tudo que você tem!


Por isso, valorize o que você tem e as pessoas que estão ao seu lado.


Texto de George Carlin



sábado, 4 de junho de 2011

Meu pai, meu herói...

Meu pai, meu herói, meu amigo... E não estou parafraseando o Fábio Jr não, estou falando a realidade...
Meu pai prá mim sempre foi um herói e continuará sendo por todo o tempo de minha atual existência e das minhas próximas, pois ele conquistou a minha admiração total, o meu carinho e o meu amor!! Falo assim, pois não sabemos como estivemos juntos em outro tempo e nem como estaremos, mas com certeza a partir desta existência nossa convivência será sempre harmoniosa, pois ele tem uma importância imensa na minha vida, não só por que me deu a oportunidade de vir experenciar mais uma vez neste mundo através dele, o que eu agradeço imensamente, mas também pelo exemplo, pela educação, pelo amor e carinho que ele me dispensou por todo o tempo em que estivemos juntos!
Não sei na verdade se ele tinha consciência do quanto eu o amava, pois não éramos dados a palavras, mas creio que sim pois os atos falam muito mais do que elas e eu estive desde menina do lado dele. Nossos tempos de Estação Experimental em Bagé... Depois Domingos Petrolini, Colégio Diocesano, Universidade Católica... Sempre onde ele trabalhou eu fiz firme presença, amava estar com ele em todos os momentos.
Como sempre gostou de desafiar o cérebro, também passava para nós vários desafios... Lembro de um que me enviaram pela internet e nós passamos uma tarde inteira para decifrarmos e foi tão magnífico a nossa cúmplice alegria ao término!!!
São muitos momentos, muitas lembranças deste pai maravilhoso e inesquecível!!!
Hoje dia quatro de Junho ele completaria seus 83 anos experienciados neste mundo, mas como já cumpriu a tarefa desta existência ele se foi para quem sabe voltar a experienciar de um outro modo ou não voltar mais para cá e sim para outros universos......
Sei que não devo chorar nem lamentar... Mas a dor da saudade é muito grande e as lágrimas são involuntárias... Sei também que onde ele estiver está orando por nós... E que só não lembrará de nós, quando vier ao mundo outra vez, pois nossos registros são apagados para que possamos realmente ter aprendizado, portanto meu pai, enquanto ainda estiveres na quintessência ora para que nós possamos continuar experienciando neste mundo segundo os ensinamentos que nos deste!!!
Paz e Bem!!!

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Não suporto a INVEJA!!!

Eu ouço bastante por aqui e por alí a tal frase... "Xô Inveja", mas mais como característica de folclore  do que como uma coisa séria que na verdade a inveja é... Vejam bem inveja e ciúme são sentimentos diferentes mas que igualmente podem se tornar patologias e muito devastadoras para um ser humano e para os que com ele convivem! Quem já não sofreu e muito convivendo com pessoas invejosas que se fazem de boazinhas e vão ganhando campo, descobrindo onde estão tuas fraquezas e quando te dás conta elas estão sendo usadas contra a tua pessoa? Acho muito triste e degradante para um ser humano permitir que a sua auto confiança caia a tal ponto de prejudicar o outro pela inveja de não tentar ser melhor!!!  

Outra expressão que costumo ouvir... "sentí uma inveja boa agora!" Quê issso gente? Quando que inveja é coisa boa? Nunquinha, ela aniquila a vida das pessoas... Se gostastes de assistir determinada situação, fala: - Bah, que tri, gostei um monte, vou lutar para um dia conquistar algo assim tão gostoso!  Mas pô inveja dói nos ouvidos e em mim não só neles, mas na alma...
A inveja acaba sempre por atrapalhar a vida do invejado em algum momento... No começo, quando ela se instala, nem é tão nociva, é apenas demonstração de baixa auto estima e isto tem jeito quando a pessoa se dá conta de que para isto existe um tratamento, mas quando a pessoa se acha a 'boazinha', que está sempre praticando 'caridade', que quer estar sempre por dentro dos assuntos e quando te dás conta além de o invejoso estar assumindo tua própria personalidade ele te envolve em uma teia particular que pessoas normais saem sem a menor dificuldade, mas outras, acabam se destruindo pela maldade alheia.
 Eu tenho um sério problema com a inveja... Eu não a suporto e ela também não me suporta! Em função dela eu precisei recomeçar a minha vida do zero... Pois tive uma criação muito transparente, sincera, e hoje costumo dizer "boba" mesmo, pois venho de um tempo onde a palavra valia, onde mendigo era tratado como ser humano, comia na mesa com a gente, se procurava dar encaminhamento para a vida das pessoas e não passar por cima delas, usá-las em benefício próprio.  E assim sendo, fui muito tola... Abria meu ser para as pessoas confiante de que elas tinham também uma boa índole que trouxeram de berço, e vejam bem... Falo de berço, de índole e não de grana!!! 
Então por ser assim uma 'bobinha' acabei caindo em mãos perigosas, usurpadoras e destruidoras, que apenas sentiam inveja e que não trabalhavam para se tornarem melhores... Meu mundo caiu... Surtei... Perdí meu rumo... Saí fora do mundo por um tempo... E quando me fortalecí voltei... Voltei com força e entendimento de coisas que eu jamais imaginava existir, mas é como diz o ditado... A vida ensina... E ela me ensinou.... E muito...
Mas eis que o invejoso anda sempre disfarçado por aí, e trama uma armadilha bem feita, afinal sente-se descontrolado, sem estima e usando a desculpa de 'ajudar' te leva a uma situação embaraçosa... Ao mesmo tempo que te dá uma real ajuda, que se mostra solidária e necessitada, ela te coloca prá baixo... Vai fazendo tua auto estima e tua segurança caírem... Tenta destruir aquilo que vens construindo com tanto esforço apenas para sentir-se melhor que alguém...
E assim meus amigos... Eu que andei dias amargos por aqui, lhes digo... Surtei geral com a inveja e a insegurança alheia...                       

sábado, 28 de maio de 2011

EGO

O EGO é um mecanismo de defesa pelo qual se procura compensar um comportamento negativo, substituindo-o por um comportamento "aparentemente" positivo. O indivíduo busca, consciente ou inconscientemente, camuflar, reprimir os seus defeitos e fraquezas pessoais, que podem ser reais ou imaginários. Caracteriza-se pelo exagero pelo excesso das manifestações aparentemente positivas.
A pessoa então  tenta desviar a atenção dos outros destes defeitos, sejam físicos ou morais, através  de alguma característica socialmente aceita e às vezes  até exigida pelas pessoas como um comportamento adequado. Mas este comportamento é apenas uma máscara, é baseado na repressão das coisas negativas do ego que não foram trabalhadas, e assim o que se tem é apenas uma máscara e não uma pessoa de verdadeiros valores...

Sabe aquela pessoa que faz papel de bom moço, que imagina, chega a se sacrificar para ajudar alguém, se torna mártir da vida, não consegue obter dela o que deseja  em função de se sentir prejudicada pelas necessidades do outro...
Quem a ouve falando, se sente penalizado, sente a mesma dor que ela própria, acredita no que ela diz, mas tem um momento que esta máscara cai... E quando a pessoa se dá conta de que colocou todo seu imenso EGO à mostra, dá um jeito de sumir da tua vida... Talvez para que os outros não venham a saber por ti quem ela ela é...

Mas coitados... Julgam os outros por si próprios, pois pessoa de caráter, jamais sairia por aí jogando pedras em quer que seja...  É  muito fácil enxergar os defeitos nos outros.. Em nós mesmos parecem não existir.... Mas se formos analisar bem profundamente, nos daremos conta de que  aquilo que vemos como defeito no outro também pode estar em nós... Cuidado com os julgamentos!!!

Mas gente, vou falar uma coisa para vcs... Não sou normalmente enganada pelas pessoas, mas mesmo sem abaixar a guarda para uma pessoa que eu tinha certeza de que tinha um ego inflado demais, que era egoísta demais e que não tinha , me perdoem a palavra  "alma", me deixei levar e crer até o dia que descobrí que  realmente não tem!!! 

Feliz de quem descobriu a tempo e saiu fora desta teia de egoísmo e exploração!!!



É, aquele que faz o papel do bom moço., está sempre disposto a “sacrificar-se para ajudar” os outros, mesmo que para isso tenha que passar por cima de suas necessidades. Não é capaz de dizer não. Por isso, todo mártir está, quase sempre, envolvido com uma ou mais “vítimas” para serem socorridas, atendidas por ele.

Quem observa apenas a aparência, acha que ele é uma pessoa carismática, muito boa, sempre disposta a ajudar os outros. Mas, analisando a situação sem máscaras, percebe-se que o mártir bonzinho é apenas um indivíduo buscando compensar os sentimentos negativos que detêm e, por se sentir inferior aos demais devido a esses sentimentos, procura disfarçá-los fazendo tudo para os outros, para com isso ser aceito e querido por eles.
Para sermos realmente bons, é necessário aceitar e transmutar as negatividades do ego, e não simplesmente escondê-las atrás de uma máscara.