segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Holísticamente falando....


Muitas vezes...

O resfriado escorre quando o corpo não chora.

A dor de garganta entope quando não é possível comunicar as aflições.

O estômago arde quando as raivas não conseguem sair.
O diabetes invade quando a solidão dói.
O corpo engorda quando a insatisfação aperta.
A dor de cabeça deprime quando as dúvidas aumentam.
O coração desiste quando o sentido da vida parece terminar.
A alergia aparece quando o perfeccionismo fica intolerável.
As unhas quebram quando as defesas ficam ameaçadas.
O peito aperta quando o orgulho escraviza.
A pressão sobe quando o medo aprisiona.
As neuroses paralisam quando a "criança interna" tiraniza.
A febre esquenta quando as defesas detonam as fronteiras da imunidade.

E as tuas dores caladas? Como elas falam no teu corpo?

Mas cuidado...Escolha o que falar,com quem, onde e como!!!
Crianças é que contam tudo, para todos, a qualquer hora, de qualquer forma
Passar relatório é ingenuidade.
Escolha alguém que possa te ajudar a organizar as ideias, harmonizar as sensações e recuperar a alegria.
Todos precisam saudavelmente de um ouvinte interessado.
Mas tudo depende, principalmente, do nosso esforço pessoal para fazer acontecer as mudanças na nossa vida!!
Seja Feliz!!!

Desconheço a autoria do texto acima, mas holísticamente falando, ele traduz as reações do nosso corpo às adversidades com as quais não sabemos muitas vezes lidar...
Como estudiosa e praticante de Terapias Holísticas, entendo o quanto este texto fala verdades que muitas vezes as pessoas desconhecem. Para nos sentirmos completos e felizes, é necessário encontrar-se consigo mesmo, dissolver bloqueios, atingir o equilíbrio!!
No meu entender, o Reiki e as demais terapias holísticas bem aplicadas, podem colaborar, e muito, conosco neste encontro!!!

sábado, 11 de dezembro de 2010

Caê e Gadú.... Uma dupla espetacular!!!

Desde o início de 2009, quando conquistou tanto o grande público quanto formadores de opinião, Gadú que tem 24 anos, mas faz música desde que se entende - escreveu seu maior hit, "Shimbalaiê", aos 10, e só não a perdeu no fundo da memória por causa da mãe, Neusa, que insistiu em registrá-la. Mãe que também muito contribuiu para a sua paixão, alimentando-a desde o berço com um rico repertório, que contava com "Alegria, alegria" entre as dez mais de sua parada de sucessos particular.
- "Alegria, alegria" é a minha "Shimbalaiê", também a escrevi aos 10 anos - brinca Caetano, para depois detalhar mais paralelos entre a canção que o consagrou nacionalmente, em 1967, aos 25 anos, e a de Gadú. - Da mesma forma que ela não gosta de cantar "Shimbalaiê", raramente incluo "Alegria, alegria" em meus shows. E se ela está agora no roteiro, é para mostrar essa coincidência.
O encontro no palco começou a nascer há cinco meses, numa festa fechada, e prosseguiu, no fim de agosto, na festa televisionada do Prêmio Multishow. A sintonia foi tanta, assim como a repercussão junto aos fãs de ambos, que o flerte virou um namoro musical firme. Apenas os dois e seus violões, em números individuais ou em duo: abrem com "Beleza pura", e, em seguida, Gadú canta solo sete músicas; voltam a se juntar em "O quereres" ("É a minha preferida de Caetano", diz ela, que já no primeiro ensaio cantou a complexa letra por inteiro, para surpresa do autor) e "Sampa"; e, depois, o cantor faz sozinho sete outras; para a dupla fechar a noite com mais oito canções.
Encontro que vai gerar o inevitável DVD, numa parceria das gravadoras de Caetano e Gadú - respectivamente, Universal e Som Livre -, com direção de Fernando Young e Gualter Pupo. Toda a turnê está sendo registrada, assim como cenas de bastidores, incluindo a entrevista para o GLOBO, feita no apartamento da cantora.
A diferença de idade não pesa. Aos 68 anos, Caetano tem um diálogo constante com os jovens, tanto que sua banda a partir do disco "Cê" é liderada pelo guitarrista Pedro Sá - de 38 anos, e desde os 7 amigo de seu filho mais velho, Moreno -, que convocou dois músicos mais novos ainda. Já Gadú, por trás de sua estampa de "moleque com peitão" (a definição é do novo parceiro de palco), esbanja maturidade. Ela faz música profissionalmente desde os 12, 13 anos, quando começou a se apresentar em bares de São Paulo, e, antes de fazer o mesmo no Rio - e, em 2008, chegar aos ouvidos de Jayme Monjardim, no início da produção da minissérie "Maysa" -, rodou a Europa por quatro meses, se virando graças ao seu natural talento. Talento que, no início de 2009, chamou a atenção de Caetano, que a viu num de seus primeiros shows, no extinto Cinemathèque:
- Na época, vi muita gente nova, Tiê, Ava Rocha, Jonas Sá, Tono... No caso de Gadú, a (produtora musical) Beth Araújo tinha me dito que era uma nova Cássia Eller, mas encontrei uma menina, sentada nessa mesma posição de lótus que está agora, de voz suave, até mais influenciada por Marisa Monte.
Logo, Gadú provou que ia além dessas referências e se impôs, num cenário totalmente diverso daquele que Caetano encontrou ao virar cantor, na época dos grandes festivais competitivos que contaminavam o Brasil através da TV. Hoje, com conteúdo rodando livre pela internet, o disco pode não ter mais tanto peso, mas ela já vendeu 130 mil cópias de sua estreia, provando que exceções e talentos naturais confirmam as regras. Enquanto a cumplicidade dos dois e de seus públicos mostra que faixa etária não divide ninguém.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Não tem preço!!!

Que eu sou fã da Gadú não é novidade né?rs...

Então imagina ganhar de natal "adiantado" o lançamento do DVD dela? É tudo!!!

E mais ainda ganhei um box com dois cds, um DVD que foi lançado dia cinco de dezembro.... Isto não tem preço!!!


Uauuuuu... Não dá prá não ser fã desta moleca com voz de gente grande que canta muiiito!!!


O DVD tá o máximo!!! Sou meio suspeita prá falar, mas gente vale a pena!!!

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

William Shakespeare


Depois de algum tempo, você aprende a diferença, a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança. E começa a aprender que beijos não são contratos e presentes não são promessas. E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.

E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão. Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo. E aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam... E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la, por isso. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.

Descobre que se levam anos para se construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que você pode fazer coisas em um instante das quais se arrependerá pelo resto da vida. Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias. E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida. E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher. Aprende que não temos que mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam, percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos.

Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa, por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pode ser a última vez que as vejamos. Aprende que as circunstâncias e os ambientes tem influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser. Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto. Aprende que não importa onde já chegou, mas onde está indo, mas se você não sabe para onde está indo, qualquer lugar serve. Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados.

Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências. Aprende que paciência requer muita prática. Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.

Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas do que com quantos aniversários você celebrou. Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha. Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens, poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.

Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel. Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame, não significa que esse alguém não o ama, contudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.
Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo. Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado. Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte. Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás.

Portanto... plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores. E você aprende que realmente pode suportar... que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!"

Simpatia e antipatia...


Simpatia e antipatia são sentimentos antagônicos, portanto não tenho como sentí-los pela mesma pessoa... Mesmo que em algum momento uma pessoa com quem antipatizo faça algo que venha a me agradar não posso dizer que passei a ter simpatia por ela, pois sou muito radical nos meus sentimentos e principalmente nestes dois...

É incrível ou eu simpatizo logo de cara com alguém e convivo com ela super bem, mesmo ela sendo para outros uma pessoa ruim ou coisas do gênero, ou antipatizo da mesma forma com outra que pode ser considerada boa para outras e nem quero ficar perto dela, pois me causa urticária...risos....

Falando sério, tem algo em mim muito intenso quanto a simpatizar ou antipatizar com alguém... Quando simpatizo, normalmente esta pessoa não me fará mal... Mas quando eu antipatizo, pode a pessoa fazer o que quiser para me agradar, não vai conseguir e tem mais, um dia a máscara dela cai... Pois eu pressinto as pessoas... Se eu simpatizar, na maioria dos casos é tudo de bom, mas se eu antipatizar pode ter certeza, a pessoa vai me machucar um dia, mesmo eu tentando não conviver com ela.

Apesar de eu ser meio despegada de detalhes, sou intensa em relação a pessoas e muito, mas muito sensível no que tange a energia delas e das coisas, por isto quando sinto uma energia desagradável em alguém e isto me faz antipatizar prefiro ficar longe, bem longe mesmo!!!

Pior é que muitas vezes tenho que conviver mesmo que não diáriamente com pessoas as quais me dão urticária... Mas não sei ser falsa e tenho certeza de que a pessoa recebe de mim a antipatia que dedico a ela... Coisa feia isto não? Mas é uma auto proteção e por incrível que pareça eu tenho isto de me proteger das pessoas negativas muito latente em mim....

A parte boa, é que são raríssimas as pessoas que eu sofro de urticária só em pensar nelas que eu preciso conviver!!!!

Confissão por Luis Henrique Balera

Olá, muito prazer!
Bem vindo ao momento em que me encontro numa confusão deliciosa, compartilho com você minha euforia proibida e minha realidade distorcida.
Algumas palavras de sabedoria não me seriam bem vindas no momento e acho que nem ao menos você, leitor, gostaria de um sermão ou uma lição de moral a esta altura não é?
Pois bem, vamos compartilhar deste sentimento puramente humano e sombrio, mas que é instantaneamente glorioso. Existe algo mais saboroso do que uma fruta doce e picante? A cada mordida sentimos instantaneamente seu sabor sedutor, e logo em seguida a ardência de um momento sado, e ao largar nos damos conta de que gostamos deste desafiador prazer e provamos mais um pedaço.
Como é bom poder experimentar esta fruta, mas como é ruim ter consciência de sua letalidade.
A brutalidade do amor é algo sufocante, pois é capaz de tirar a razão dos seres mais racionais e calculistas, e por isso meu amigo, digo que o amor é brutal. Penso que se existe a possibilidade de termos sido castigados pelo pecado primordial de Adão e Eva, esta foi a sentença nos dada: amar!
Amar é sem sombras de dúvida a maneira mais sádica de um ser humano se entregar aos prazeres e sentimentos inocentes e perversos, tudo em um apanhado rude de inconseqüências e ilusões selado com um embrulho de pureza. Cuidado ao abrir, pois uma vez dispersos costumam fugir ao controle e à razão.
Compreenda leitor o meu desapego a tais sentimentos, ou pelo menos a minha tentativa de relutância, pois se torna vulnerável e frágil o possuidor de tal sentimento. É como viver em uma guerra interna, onde a vitória não vem sem antes um grande massacre sangrento e doloroso. A estratégia atual vem por cegar o mensageiro responsável por avistar o inimigo, gerando assim uma derrota rápida e fria, pois assim prefiro perder do que ser considerado um ditador vitorioso, me chame de covarde ou louco, mas minha loucura me mantém são.
Quais as vantagens da vitória se tudo o que ela traz é mais sofrimento ao inimigo e invoca outros desafios ainda maiores para o vitorioso. Acredito que penso assim porque em toda a minha jornada não me lembro de um dia ter vencido sequer uma batalha, mas quer saber, quem vence de verdade é quem tem certeza de estar certo mesmo que toda a maré se volte contra ele, e para ser sincero, nunca tive a certeza para enfrentar ao menos uma marola.
Torne-se forte, torne-se fraco. Mas independente de tudo, torne-se você mesmo.
24/07/2010 – 00:44
Luis Henrique B. S. Balera.

Patinho Feio


Desde pequena tive 'síndrome de Patinho Feio'... E acabei por me dar conta de que isto contribuiu, e muito para quem eu sou hoje. Surpreendente? Talvez... Mas creio que seja interessante, pois por me sentir um patinho feio, acabei por desenvolver 'conteúdo' e não me preocupar com a aparência exterior como a maioria das pessoas. Enquanto a maioria das meninas queria ser a mais linda eu apenas queria crescer íntimamente, ter conteúdo, ser alguém por inteiro, que conseguisse manter um papo, que soubesse ser gente... entende?

Como já coloquei várias vezes, não tenho nenhuma forma de apego, aliás se tem uma coisa que promovo todo o dia é o desapego tanto material como em relacionamentos.

As coisas materiais devem estar conosco enquanto trazem uma utilidade, depois ao invés de jogá-las em um canto qualquer, devemos passar adiante para aquelas pe
ssoas que podem estar precisando delas.... Já em relacionamentos promovo o desapego até porque não sou a melhor pessoa neste quesito, leia-se relacionamento amoroso. Amo muito a minha liberdade, ser quem eu sou, viver da maneira com que eu acho certa e me identifico, enfim ser dona de mim. Sei que também não me apego para não sofrer na fatídica hora da despedida... E em se tratando de mim, é incrível, ela chega sempre que o outro alcança o que almeja...


Sou tão fácil para atrair amor... Vocês nem imaginam o quanto!!! Mas ele tem um prazo de validade muito curto... Não sei por que, talvez seja justamente por eu carregar um escudo muito denso para não sofrer ou por que quando entro em um relacionamento me dôo de tal forma que procuro cooperar com o outro para que ele alcance seus propósitos, que cresça, que alce vôos maiores superando seus medos e por
incrível que possa parecer,quando este objetivo é alcançado pelo outro, eu acabo mais uma vez sózinha... Pelo menos fico inteira, não me apeguei de tal forma que vá sofrer!!

Sempre foi assim... Sirvo apenas de ponte entre o que a pessoa deseja e o alcançar de tal coisa...

Continuo sendo um patinho feio sim, mas sem dúvida com um conteúdo valioso que derepente não foi feito para ser de uma pessoa só e sim do mundo!!!


Não sei se passei a pensar assim, que sou do mundo, para não sofrer com a solidão ou se realmente minha missão é esta mesmo, ser do mundo inteiro e não de uma pessoa só...

Minhas idéias embora confusas, dizem muito sobre dor, amor, doação, liberdade e solidão... E a solidão por si só não me assusta, pelo contrário ela me atrai, pois solidão 'sózinha' não é algo triste... Triste mesmo é a "solidão acompanhada"!!!

Separação...Pais e Filhos são para SEMPRE!!!


Aprendí a analisar as coisas ao meu redor, passei a ter olhos de ver e ouvidos de ouvir...Parece estranho dizer isto, mas passei minha vida filtrando sem querer o que vía ou ouvia... Nunca enxerguei as coisas como realmente são... Maldade era coisa inexistente para mim, algo que eu não conseguia ver ou ouvir de verdade, como se não conseguisse entender... Mas nunca é tarde para que se aprenda a ter atenção em tudo e saber distinguir onde existe maldade intencional, onde reside a bondade verdadeira, enfim, enxergar a realidade tal qual ela é, creio que é mais doloroso, mas é na dor que aprendemos a ser fortes e corajosos.

Em outro post comentei que amor se conquista e que muitas vezes pais e mães não conseguem conquistar o amor de seus filhos, algumas vezes apenas respeito e outras nem isto, só mesmo medo... Que triste... Mas cada pessoa é um mundo próprio e neste mundo pode não existir amor, nem mesmo amor próprio e quem não tem amor por si não tem como conquistar o amor do outro!! Quando isto acontece, não acho que seja algo agradável, mas é necessário não julgar, deixemos que um dia em alguma situação a pessoa própria se julgue e mude se ainda for tempo...

Conheço vários casos assim, de pais abandonados por filhos, de filhos abandonados por pais, de desamor, desrespeito e assim penso, como fui e sou feliz por ter pais equilibrados, amorosos tanto entre eles quanto com os filhos, conquistando destes não só amor mas muito respeito e admiração.

O que me causa tristeza mesmo é notar que nas gerações atuais, casais tem filhos sem saber nem mesmo o que significa ser pai/mãe. Não entendem que pai e mãe são para sempre e filhos também!!!
Ser pai ou mãe acarreta uma responsabilidade muito grande, é a construção de um novo ser humano que deveria sim ter uma boa estrutura, mas não é o que posso sentir... Não que eu ache que quando um casamento chega no limite ele não deva ser desfeito por causa dos filhos... Penso que deve ser desfeito logo que o casal sinta que não há mais amor e antes que o respeito pule a janela, pois aí a vida de vários seres estará em jogo.

Quantos casais ao verem o final do casamento chegar, começam a passar para os filhos imagens denegridas de um e de outro?? Como disse, pai, mãe e filhos são para sempre... Mesmo não morando junto com pai e mãe, não se pode fazer com que o filho tenha desde pequeno uma péssima imagem de um ou de outro, temos que nos colocar em equilíbrio e nunca despejar sobre os filhos a amargura que temos pelo outro, assim como filho não deve participar ativamente dos problemas dos pais e muito menos saber sobre suas intimidades, seus desafetos, pois acabam por construir um novo ser desequilibrado... Cada um tem que passar pelo seu relacionamento ou término dele sem envolvimento dos filhos, para que assim a relação entre pais e filhos sejam saudáveis para sempre mesmo que os pais optem por nunca mais se verem!!! Esta coisa de quando o casamento não vai bem despejar em cima dos filhos todos os acontecimentos,acaba por deixar o indivíduo tão confuso que não irá mais saber em quem confiar e em quem crer, e na verdade, o pai ou mãe pode sim ser pessoa íntegra e maravilhosa e ter tido seus motivos para algumas atitudes, mas que devem ficar entre eles... Quando um relacionamento acaba não há um culpado... Como cantava Cássia Eller... "O prá sempre sempre acaba"... Um relacionamento pode ter fim de forma saudável, ou não... Mas pelo menos deve ser passado para os filhos que pai e mãe é para sempre!!!

A parte magoada de um relacionamento tende sempre a colocar o filho contra o outro que o magoou e feriu, mas na verdade um relacionamento a dois tem que ser mantido assim, a dois... Quando acaba, devemos esquecer o que passou, a vida segue em frente, afinal nós somos um ser inteiro e não uma metade que precisa da outra metade para viver!!!

Tenho certeza de que filhos de pais separados agradecem quando os mesmos são maduros o suficiente para não colocá-los na linha de frente desta separação!!!


Cá estou batendo na mesma tecla da postagem anterior.... EGOÍSMO.

Fui dormir ontem com a idéia ainda martelando na minha cabeça... Egoísta!! eu?? Uma pergunta que não calou pela noite a fora, que me fez sentir angústia e ansiedade, que me gerou dor naquela ferida antes aberta...

Na verdade, a ferida continua lá... E não mais por ter sido chamada de algo que realmente não sou, mas pelo modo como me foi dita e principalmente por quem a proferiu, um dia quem sabe a ferida cicatriza, mas isto serviu para que eu refletisse e me desse conta do que falta em mim.... Sim, falta uma pitada de egoísmo. Um egoísmo bom sabe? Pensar em mim também ao invés de me doar totalmente para fazer a felicidade dos outros, pois ser assim tão altruísta acaba por me causar dores, pois as pessoas passam a crer que seja uma obrigação minha só pensar nelas e não em mim!

Já há algum tempo eu havia decidido não mais me mutilar para que os outros me aceitassem ou me amassem, mas não me dava conta de que a total falta de egoísmo no meu ser é também uma forma de auto mutilação!!!

É como dizem.... Há males que vem para o bem... Esta ferida me fez ver o quanto ainda preciso me amar!!!

Alma Ferida

Outro dia aqui mesmo citei Caio onde ele dizia o seguinte:

"Um dia tu vais compreender que não existe nehuma pessoa totalmente má, nehuma pessoa completamente boa. Tu vais ver que todos nós somos apenas humanos. E sofrerás muito quando resolveres dizer só aquilo que pensas e fazer só aquilo que gostas. Aí sim, todos te virarão as costas e te acharão mau por não quereres entrar na ciranda deles, compreendes?"
(Caio Fernando Abreu)

Concordei com ele no mesmo momento em que lí, me identifico com ele e tinha já a consciência de que as coisas acontecem mesmo desta maneira. Quando agimos sómente do modo com que as pessoas desejam, seremos bons, mas se em algum momento divergirmos tudo muda...


Uma coisa que me aconteceu hoje, surpreendentemente me feriu profundamente, e falo surpreendentemente pois parece bobo da minha parte, mas com certeza me causou imensa dor de alma e deixou alí uma ferida aberta, mais dolorido ainda por ter sido proferida por uma pessoa da qual eu jamais imaginei ouvir!!!


Não sou perfeita e nem tenho a pretensão de ser, tenho muitos defeitos, aliás como todos nós seres humanos temos, alguns são fáceis de digerir outros nem tanto... Não sou uma pessoa pura, sou sim humana, mas se tem uma coisa que eu tenho absoluta certeza de que não sou, é 'EGOÍSTA'!!! Muito pelo contrário, muitas vezes me dói 'ter' sabendo que tantos necessitam.

Não ajo com egoísmo em nenhum campo da minha existência, sei doar a mim mesma se assim for necessário, e isto com o total desprendimento, sem querer recompensa e muito menos espalhando para outrém o que fiz ou faço por doação. Conheço pessoas que fazem muito pelas outras, mas que fazem uma questão não só de ficar expondo para a própria pessoa sua "bondade" como para os outros.... Prá mim isto não é bondade é necessidade de reconhecimento!!!

Sei me doar no silêncio que a verdadeira caridade exige. Se colaboro ou me dôo, com certeza não me acho melhor por isto, afinal, não vim para este mundo a passeio!!!

Pelo meu relato, quem por aqui passar e me ler e mais ainda aqueles que me conhecem profundamente, poderão compreender o motivo deste ferimento de alma que me foi causado a ser chamada vulgarmente de 'EGOÍSTA' por alguém que me conhece tanto, para quem me dôo totalmente e que por uma atitude minha, quase que insignificante, mas que na verdade pensava um pouco em mim, no meu bem estar, dentre tantos outros desapegos que ela própria presencia ou é beneficiada.

Não desejo reconhecimento nem reciprocidade na minha doação, mas é dolorido demais te dar conta de que as pessoas no fundo, esperam de uma pessoa altruísta como eu, sempre 'tudo' e quando vem um pouco menos, o restante todo vai por água abaixo!!!

Mesmo ferida, por não me considerar egoísta, resolví que 'EGOÍSMO' será algo para que eu reflita nos próximos dias.... Quem sabe eu descubra que um pouco de egoísmo é necessário existir para que possamos promover também nosso bem estar!!!

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

"É fácil morrer. A toda hora, em todos os lugares, a morte está se oferecendo. Mais difícil é continuar vivendo. Eu continuo. Não sei se gosto, mas tenho uma curiosidade imensa pelo que vai me acontecer, pelas pessoas que vou conhecer, por tudo que vou dizer e fazer e ainda não sei o que será."

Concordo com Caio....A morte se oferece prá nós em cada esquina.... Mas eu também como ele,não sei se gosto,mas quero viver e descobrir o que me é reservado ainda de surpresas nesta vida tão inconstante....

Estou divagando...

São muitos acontecimentos, alguns totalmente inusitados, mas sei que me levarão a algum lugar....

Viva a vida, que mesmo sendo louca é sempre imprescindível!!!!

domingo, 28 de novembro de 2010


Ando obcecado por silêncio. Um silêncio que te permita ouvir o ruído do vento. E o bater do coração. E se possível isso que chamamos de Deus,existindo devagarinho em cada coisa. E Existe.

Milho de pipoca - Rubem Alves



Milho de pipoca que não passa pelo fogo continua
a ser milho de pipoca, para sempre. Assim acontece
com a gente. As grandes transformações acontecem
quando passamos pelo fogo. Quem não passa pelo fogo fica do mesmo jeito, a vida inteira. São pessoas de uma mesmice e de uma dureza assombrosas. Só que elas não percebem. Acham que o seu jeito de ser é o melhor jeito de ser. Mas, de repente, vem o fogo. O fogo é quando a vida nos lança numa situação que nunca imaginamos. Dor. Pode ser fogo de fora: perder um amor, perder um filho, ficar doente, perder um emprego, ficar pobre. Pode ser fogo de dentro. Pânico, medo, ansiedade, depressão - sofrimentos cujas causas ignoramos. Há sempre o recurso aos remédios. Apagar o fogo. Sem fogo o sofrimento diminui. E com isso apossibilidade da grande transformação. Imagino que a pobre pipoca, fechada dentro da panela, lá dentro ficando cada vez mais quente, pense que sua hora chegou: vai morrer. De dentro de sua casca dura, fechada em si mesma, ela não pode imaginar destino diferente. Não pode imaginar a transformação que está sendo preparada. A pipoca não imagina aquilo de que ela é capaz. Aí, sem aviso prévio, pelo poder do fogo, a grande transformação acontece: pum! - e ela aparece como uma outra coisa, completamente diferente, que ela mesma nunca havia sonhado. É a lagarta rastejante e feia que surge do casulo como borboleta voante.

Não preciso ter razão, apenas ser feliz

Interessante.... Estou me tornando mais interessada... risos.... E sendo assim, mais 'antenada' nas atitudes das pessoas também e não só nas minhas...

Analisando pessoas que entraram há bem pouco no meu círculo de convívio, me dei conta do quanto as mesmas tem necessidade de serem os donos da razão...

Fiquei meio perdida, me era impossível acreditar que existiam pessoas tão radicais no quesito razão. Mas a minha maior surpresa foi rever atitudes de outras pessoas e me dar conta que estas também querem ser donas da razão e daí descobrir que a maior parte das pessoas quer mesmo é ser o "Dono da Razão" e assim a coitada vai passando de um para outro sem saber em qual dos viventes residir e isto muitas vezes dá uma dor de cabeça sem tamanho em todos os envolvidos e até naqueles que como eu, só querem perceber as atitudes das pessoas!!!

Parei para analisar um acontecimento que envolve dois núcleos de pessoas conhecidas, cada um pensando que tem a razão... E tentando ser imparcial na minha análise, e acredito, sendo, percebo de que ambas as partes tiveram seus motivos para tais atitudes, portanto nenhum dos dois núcleos é o dono da razão, é necessário haver consenso, o que em se tratando dos dias atuais é bem difícil....

Eu procuro ser justa e analisar a situação, não só quando estou de fora dela, mas principalmente quando estou nela e então me dou conta de que nem quero me importar em ter razão de nada.... Eu quero mesmo é ser feliz!!! Perder tempo querendo ser o dono da razão e da verdade está completamente fora do meu ser!!!

Estou tão bem... Me sentindo renovada completamente, me sentindo útil à humanidade, fazendo a minha parte para contribuir com as pessoas e me dando conta que ao mesmo tempo em que eu colaboro estou recebendo uma grande lição de vida!!!

quinta-feira, 25 de novembro de 2010


Ontem eu vi dentro do teu olhar
A luz que eu buscava em tanta gente mas eu nunca encontrava
Ontem eu vi em plena madrugada
O teu sorriso frouxo, o teu cabelo solto e as tuas mãos de fada

E como não me apaixonar?
Me diz, como eu posso (eu não vou) te deixar passar?
Pois mesmo se fosse
uma estrela no céu
Eu pegaria o primeiro cometa
Pra bem pertinho te ver brilhar
Mesmo se fosse
Uma estrela do mar
Mergulharia mais fundo
Só pra peixinho virar
Pois quando estou apaixonada
Eu faço mágica (e música)

Ontem eu senti junto da tua carne
Uma energia rara, teu calor prepara pra o perfeito encaixe
Ontem percebi que minha pele fala
E ela gritou maluca! Vê se se desliga
Senão a gente frita

mesmo se fosse uma estrela no céu,
mesmo se fosse uma estrela no mar
a minha vida eu fiquei te esperando
agora não vou deixar você me escapar.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Primeiros Passos


Acabei de renascer... Tudo é novo... Preciso perceber cada passo que dou para não cair em desequilíbrio novamente e estes meus primeiros passos estão sendo uma experiência singular e inovadora.

Nunca imaginei que conseguiria perceber a vida e as pessoas como estou fazendo, pois na verdade apesar de ser uma pessoa super intensa, o sou apenas naquilo que me chama a atenção, nas coisas que gosto ou que quero, mas me propus a mudar e por isto mesmo o meu renascimento precisa ser bem planejado e redimensionado...

Citando Rubem Alves.... "Há muitas pessoas de visão perfeita que nada vêem...O ato de ver não é coisa natural. Precisa ser aprendido."

Tenho percebido mais as pessoas ao meu redor, analisando com intensidade atos que me dizem respeito e palavras que me são ditas.... Também tenho percebido as pessoas em geral... Suas atitudes frente a vida, as reações, carências,vivências e personalidade. Estou aprendendo a olhar e ver... Ouvir e escutar e isto é algo incrível, pois assim sei que estou aprendendo a não só passar pela vida, mas viver!!!

Percebí que algumas pessoas necessitam tanto de atenção que acabam por se remodelar quando percebem o que já perderam por não se aprofundarem na existência, e quando se sentem protegidas, com suas carências supridas, te devolvem um "quê' de verdade, de carinho que realmente te emociona e faz com que se crie um vínculo de cumplicidade...

Conhecer profundamente as pessoas é algo surreal!!! Ainda mais quando se está despojado de qualquer preconceito e com vontade de sentir a vida plenamente!! Nos damos o tempo e a atenção necessários para que o outro se mostre plena e verdadeiramente....

Nestes primeiros passos estou me reconhecendo.... Vou muito além daquilo que eu pensei que fosse... A minha auto estima era bem pequena, me imaginava menos capaz do que realmente sou e agora recomeço do 'nada' sentindo que sou 'tudo'!!!!

Nostalgia





O que posto aqui, de alguma forma existe ou existiu em minhas vivências.... Inclusive as músicas, pois elas embalam a minha vida, colorem meus dias e ensinam lindas lições também....

domingo, 21 de novembro de 2010


"Não se pode ser infeliz,
não se pode morrer em vida,
não se pode desistir de amar, de criar.
Não se pode: é pecado, é proibido (...)
Não é possível adiar a vida"

Urgência de Viver




De repente me bateu uma urgência de viver intensamente, de sair do casulo e me tornar uma livre e linda borboleta... Tá na hora de me tornar visível, de viver de verdade, chega de estar escondida, descobrí que posso sim viver, me mostrar, ser eu mesma, e sair por aí distribuindo meu sorriso, meu carinho e atenção pelo mundo e não só para seletas pessoas.
Hoje acordei assim, com sede de vida, saí na rua como se estivesse renascendo para este mundo, e quero manter esta urgência de viver, pois já perdí muito tempo.... Não estou totalmente reconstruída, ainda tenho muitos desafios a serem superados, mas agora sei que posso fazer isto livre leve e solta, vivendo muito...
Não dá mais para adiar a vida!!! Preciso demais me reconciliar comigo mesma, com a vida e com pessoas que eu deixei prá trás por ser exigente demais.... As pessoas nem sempre são como a gente e menos ainda como a gente quer que elas sejam. Cada um tem sua personalidade, suas qualidades, peculiaridades e seus defeitos também assim como eu, só não são iguais... Ainda bem né? Pois se todas as pessoas fossem iguais não cresceríamos com as experiências de pessoas pertencentes ao nosso ciclo de amizades ou não...
Gente.... Tô renascendo prá vida!!!! Ueeebaaaaaaaaaaaa!!!!

Fazendo as pazes com o passado



Hoje acordei e do nada me dei conta que comecei a fazer as pazes com o passado.... Isto ainda não é bem falar em perdão como eu já havia dito que quando encontrasse cara a cara com ele viria aqui, é apenas um me dar conta de que coisas passadas marcantes,traumáticas e tristes já não mexem tanto com meu sentimento, nem me deixam depressiva. Mas vamos com calma, estou recém em processo de cura do passado, e este processo também é lento, como em tudo que se trata do meu ser, mas ter começado a fazer as pazes com ele já é um grande progresso, pois só assim poderei viver um presente por inteiro e com felicidade plena!
Quanto ao perdão, com ele ainda não me sentei de frente para poder descobrí-lo verdadeiramente, mas parece que já estou me encaminhando para este encontro...
Torço que ele aconteça em breve para que eu possa me libertar verdadeiramente das amarras que ainda me prendem e me limitam a felicidade.

sábado, 20 de novembro de 2010

Sanidade e loucura

Descobrí que a linha que separa a sanidade da "loucura" é muito frágil...

Em um momento podemos estar em completa harmonia, mente e corpo e logo enseguida a mente se perder totalmente do real, do que existe ou não, daquilo que nos é permitido falar e do que é até mesmo impensável, que dirá falável!!

E eu descobrí tudo isto, porquê aconteceu comigo, dormí em equilíbrio e acordei totalmente fora de rumo, não sei onde foi que eu falhei, mas aconteceu!

Eu era séria, responsável, reservada e derepente me ví completamente insana, vivendo na irrealidade como se esta fosse real e depois de crises sérias, me vejo retomando o rumo, mas ainda existe o receio de que tudo possa estar presente na minha vida outra vez, já que como coloquei, é muito tênue a linha demarcatória da sanidade e da loucura... E na verdade, não sei se uma vez cruzada esta linha, tem realmente como voltar ou se seremos sempre um insano em recuperação.... É algo para pensar... Repensar... Refletir e descobrir... Quando eu conseguir alcançar a resposta (pelo menos na minha visão) estarei aqui de volta.... Se não voltar a tocar no assunto é porquê descobrí que realmente não tem volta!

Não cronológicamente falando



Este blog não segue uma ordem cronológica, muito pelo contrário são vivências e emoções relembradas em momentos comuns.
Na verdade aqui é tipo uma terapia assistida, pois ao mesmo tempo que me dispo de qualquer preconceito e falo sobre mim, recebo apoio, alento, carinho e a atenção que cada um coloca ao passar por aqui lendo um pouquinho do que sou, do que fui e do que um dia ainda pretendo ser....

Portanto a ordem cronológica das vivências é o que menos importa e sim o conteúdo das mesmas, as lembranças que elas trazem, o futuro que as mesmas podem me ajudar a construir!!!

domingo, 31 de outubro de 2010

Butterfly

Acredito que a vida das pessoas está em constante transformação de acordo com as mudanças globais, mas sinto as minhas mudanças de forma bem peculiar, pois a cada ciclo me vejo como uma borboleta, que antes de se tornar aquele 'ser' maravilhoso, lindo e liberto, tem que se fortalecer dentro do seu casulo.
 

A cada remodelagem da minha vida, paro, construo meu casulo e nele fico me percebendo para depois então ganhar a liberdade, a nova vida, fortalecida e preparada para as intempéries que poderão vir.
 

Algumas vezes fico um tempo maior no casulo para poder 'nascer' denovo, e me pergunto se não estarei eu perdendo tempo de vida, pois cada vez que me recolho levo um tempo para desabrochar outra vez... Preciso descobrir como fazer deste processo de mudanças algo menos demorado e até mesmo não tão doloroso, pois o que para muitos é algo natural da vida, para mim é um renascer, é algo novo e o desconhecido me causa medo e ansiedade, por isto tem de ser tão bem trabalhado e tantas vezes demorado.... Eu estou numa fase destas, de reconstrução de uma vida, de busca, de descoberta...
 
Mas sei que não estou sózinha neste casulo, não me sinto abandonada.... Sinto a presença de amigos, de família, de pessoas que me querem bem e principalmente, estão a espera do meu renascer!!!!

Inversão de Valores


Tenho notado que a cada dia os valores estão mais invertidos...
Minha criação foi em um molde rígido nos quesitos, respeito, educação e compromisso, portanto me tornei alguém honesto, de bom caráter, delicada com as pessoas, gentil e muito, mas muito responsável e comprometida com tudo aquilo que faço, seja em questão de trabalho ou de amizade. Mas o que vejo acontecer é falta de comprometimento por todos os campos e o que mais me surpreende é que isto é valorizado nos dias de hoje!!
Pessoas sem nenhum comprometimento com nada, que transgridem regras morais são admiradas e valorizads por outras pessoas que derepente como elas tem os valores invertidos.

Tive experiências do tipo no meu antigo trabalho, por eu não fazer a política assistencialista e sim assistencial, por eu ser rígida nas regras, por tentar fazer todo o possível para que fossem respeitados os valores de decência, de comprometimento, de honestidade, me deparei com pessoas que simplesmente passaram a me considerar medíocre, e dentre elas a minha chefe!!!

Gente, isto me magoou profundamente, mas mesmo assim, não deixo de lado os valores que me foram passados na minha formação.

Já me preocupei muito em agradar os outros, muito me mutilei para ser o que as pessoas esperavam de mim, mas isto só me fez triste, por isto hoje eu não me mutilo mais, quem tiver que gostar de mim que seja pelo que sou verdadeiramente e não pelo que as pessoas desejam que eu seja.

Eu tenho um senso de justiça muito grande, portanto procuro sempre não julgar nada prematuramente, é necessário conhecer algo para podermos construir uma opinião e hoje quando exponho esta 'inversão de valores', o faço pelo que conheço, pelo que vivenciei e pelo que reconheço a cada dia de vida.

Acho triste perceber na juventude, muitas vezes a falta de cordialidade, não comprometimento, desrespeito, e aqueles que querem ser diferentes serem taxados de antiquados e subestimados entre seus amigos.

Com tudo que expus, fica fácil entender Rui Barbosa quando disse: "De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra a ter vergonha de ser honesto"

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Quem sou eu


Sabe quando pedem para que descrevas quem és? Então, acho tão complicado me definir em palavras, portanto acabo sintetizando o que sinto que sou.


Acabo por perceber que é muito difícil eu me descrever de forma diferente, pois não me conheço o suficiente... O conhecimento que tenho de mim mesma neste momento é verdadeiramente sintético. Parece insano eu dizer isto, mas é a verdade.


Sou uma metamorfose ambulante... Tenho períodos de vida totalmente diferentes, onde meu 'EU' é remodelado, reconstruído muitas vezes... E assim sendo, a cada turbilhão de acontecimentos, eu preciso serenar e refletir e mais uma vez me encontrar, me definir.


Hoje mesmo sem perceber me peguei aqui escrevendo sobre este desafio nem sempre enfrentado do auto conhecimento,algo que é muito intrigante, mas que talvez seja a experiência mais surpreendente de toda uma vida!!!



Proponho a vocês um desafio pessoal... Escrever um 'Quem Sou Eu' e ver se realmente se conhece, se se encontra na própria definição, quem sabe possam haver descobertas maravilhosas que tornem a vida mais 'leve' e superativa!!!